Vida (2017) – Daniel Espinosa

Com um elenco encabeçado por nomes de peso como Jake Gyllenhaal, Ryan Reynolds e Rebecca Ferguson, Vida tinha tudo para ser um filme que chama atenção pelas suas boas interpretações, mas infelizmente não é isso o que acontece. 
O longa acompanha a jornada dos seis membros da tripulação da Estação Espacial Internacional, que acaba de descobrir que existe vida em Marte. Eles começam a estudar e conduzir experimentos com esse ser extraterrestre, até que essa forma de vida se mostra muito mais inteligente do que poderiam imaginar.
O filme tenta ser inteligente e cheio de mensagens com significados, mas infelizmente em nenhum momento isso funciona. As variantes da trama são óbvias e, em alguns momentos, os diálogos soam forçados e bregas; mas é visível o esforço – sem grande sucesso – para fugir de alguns clichês do gênero.
Brega também é a trilha sonora do filme. Sempre que uma frase ‘marcante’ é dita, uma música de elevação é colocada. Em alguns momentos fica óbvia a inspiração em 2001 – Uma Odisseia no Espaço. Só que ao contrário do filme do Kubrick o longa do Espinosa não tem nada de inovador e inventivo.
O elenco se esforça para mostrar uma interpretação inspirada, mas o roteiro dá tão pouco que fica complicado para eles trabalharem suas emoções sem se tornarem piegas. O Ryan Reynolds parece um Deadpool mais comedido, soltando piadinhas o tempo inteiro. A Ferguson tenta, mas acaba esquecível. O Jake é o único que consegue se sobressair um pouco, mas é devido ao seu esforço como ator, porque o personagem não exige muito dele. 

Vida é um filme relativamente curto, que não traz nada de novo, apesar de tentar a todo custo ser diferente e questionador. E justamente por tentar tanto se levar a sério, acaba sendo impossível fazer isso. 

1 thought on “Vida (2017) – Daniel Espinosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *