Tartarugas Ninja – Fora das Sombras (2016) – Dave Green

Apesar da direção deste segundo filme da franquia Tartarugas Ninja não ser do Michael Bay – ele está na produção -, basta assistir 15 minutos do longa para notar o dedo dele. E não, definitivamente isto não é bom.
Desta vez as tartarugas estão cansadas de viver no anonimato. Elas já ajudaram bastante a cidade de Nova York, mas todo o crédito vai para o Vernon, o que acaba incomodando os nossos protagonistas. Chateadas com seus problemas elas acabam tendo que lidar com a fuga do assassino Shredder, ajudado pelo cientista Baxter Stockman. E para piorar ainda precisam ligar com alienígena Krang.
Chamar o filme de genérico é praticamente um elogio. O roteiro é fraco em um nível que explica absolutamente tudo, com frases e momentos que beiram o vergonhoso. Os personagens são capazes de explicar as coisas para si mesmos. Os efeitos visuais são exagerados e pouco convincentes e tentam esconder as falhas absurdas da trama. A montagem parece feita de qualquer jeito, despreocupada em dar uma lógica ao filme. Além de tudo isso, o elenco – composto por alguns nomes até interessantes – não apresenta nada, absolutamente nada de bom.
A Megan Fox é muito bonita, mas sofrível em cada aparição na tela. Nenhuma frase ou expressão da sua personagem apresenta veracidade, o que é completamente incômodo para quem busca se convencer o mínimo ao assistir a um filme. O Tyler Perry é… bem… o Tyler Perry de sempre (o único filme que ele mostra algo diferente é em Garota Exemplar mesmo ), exagerado e forçando a graça. O Will Arnett tenta dar alguma credibilidade ao canastrão do Vernon, que não faz nenhuma diferença a trama. O Stephen Amell faz um Casey Jones que não é o personagem de maneira alguma. É um cara bonito, mas passa longe de ser rústico como deveria ser. E a Laura Linney apresenta uma personagem forçada, genérica, mal escrita e mal dirigida. O QUE A LAURA LINNEY ESTÁ FAZENDO EM UM FILME COMO ESSE? ELA É BOA DEMAIS PRA SER TÃO DESPERDIÇADA!!!!

O relacionamento das tartarugas tenta ser desenvolvido, vemos os conflitos e as diferenças de personalidades entre elas, mas como tudo, é rápido e sem grande profundidade. Pelo menos algumas piadinhas bobas funcionam, o que faz o filme não ser completamente insuportável a ponto de sair da sala de cinema.

Apesar de melhor que o primeiro filme, Tartarugas Ninja – Fora das Sombras é bem ruim, mesmo como entretenimento puro e simples, não dá para perdoar tanta coisa mal feita em uma única trama. 

6 thoughts on “Tartarugas Ninja – Fora das Sombras (2016) – Dave Green

  1. OOOOI

    então, eu tô bem a fim de ver esse filme, mais pela megan do que tudo. Embora curti sua sinceridade de dizer o que curtiu ou nao. Resenhas sinceras são as melhores

    beijo
    beinghellz.com

  2. Não vi ainda nem o primeiro filme, mas saber que ele pode ser ruim assim, não me da nenhuma vontade maior de vê-lo.
    Sempre gostei do desenho, e é um desperdício da história o filme ser tão mal feito.
    Beijos
    neversaynever-believe.blogspot.com.br

  3. Na época do primeiro filme meus amigos que assistiram falaram que não valia muito a pena, por isso não vi até hoje! Com o lançamento desse segundo, estava até pensando em reconsiderar, mas, de novo, é tanta gente falando que não tá bom que também estou achando que vou deixar passar, haha. Talvez quando sair o dvd, né?

    Beijos!
    Vestindo o Tédio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *